Nova época desportiva, novos objetivos fisícos

Terminado o Verão, chega a altura de definir os objetivos físicos para o ano desportivo que começa já em Setembro.
17.08.2016

O primeiro passo a dar nesta redefinição fitness é estabelecer objetivos.

Determinar os seus objetivos pessoais de saúde e fitness é uma das etapas mais críticas necessárias para facilitar o sucesso em assumir um papel ativo na sua saúde e bem-estar. A importância deste passo não pode ser menosprezada.

A probabilidade de sucesso é muito maior quando de certa forma se define qual o resultado final deve ser antes de iniciar a tarefa. Dito isto, deveremos querer definir tanto objetivos a curto prazo como a longo prazo.

Ao definirmos as nossas suas metas de saúde e de fitness pessoais devemos querer certificar-nos de que é realmente possível alcançar os objetivos que definimos dentro do prazo estabelecido.

Por exemplo se um dos objetivos estabelecidos a curto prazo pode ser ganhar de 3 a 4 quilos de massa corporal limpa com o mínimo de adição de gordura, digamos um quilo como exemplo, o objetivo a longo prazo pode ser, seguindo a mesma linha, chegar ao verão seguinte com 4 ou 5 quilos de músculo extra perdendo toda ou mais gordura obtida no processo com vista a atingir um físico musculado, forte e super definido.

Ao definirmos os nossos objetivos pessoais de fitness antes de começarmos os planos de treino, podemos monitorizar o progresso mais facilmente e com mais eficácia. Uma das vantagens desta abordagem é que, monitorizando ativamente os resultados, iremos ter noção dos mesmos em tempo real, melhorando assim a motivação e sentimentos de realização através do cumprimento de metas estabelecidas.

A segunda vantagem de definir metas antes de iniciar o programa é que iremos poder rapidamente ser capazes de avaliar se estamos obtendo os resultados a um ritmo adequado para realizarmos os objetivos pessoais dentro do prazo definido. Se verificarmos que não estamos no ritmo certo para alcançar os objetivos podemos ir atempadamente adequando o programa para reentrarmos no ritmo rapidamente de forma a conseguir cumprir os prazos.

Dito isto devemos começar por estabelecer metas realistas e não dar passos “maiores que as pernas”. Ao determinarmos com honestidade a nossa condição atual e ao sermos verdadeiros connosco mesmos sobre as nossas capacidades e possibilidades reais de atingir um determinado nível de condição física, a possibilidade de a atingir aumenta exponencialmente.

Imaginemos um culturista que chegou ao verão com 90 kg e com uma baixa percentagem de  gordura corporal, algo como uns 8%, suficiente para todos os seus músculos estarem visíveis e fazerem virar cabeças na praia durante a época balnear.

Este mesmo individuo terminado o verão e tendo seguido as indicações que fornecemos nos artigos anteriores, encontra-se agora exatamente ou muito lá perto com a mesma condição física, no seu pensamento ecoa uma palavra, CRESCER, ou seja ganhar músculo em bastante quantidade. No entanto este culturista, devido a experiência adquirida em anos anteriores sabe que se exagerar na comida irá perder bastante definição e ele sabe pois sofreu na pele o que custa perder a gordura que permite ter aquele tanque abdominal saliente e definido.

Então desta vez ele vai optar por uma abordagem mais inteligente e mais real, sabendo que ganhar músculo puro é um processo complicado e moroso, ele irá apontar para ganhar o máximo de peso muscular com o mínimo de gordura possível, para depois conseguir facilmente recuperar o seu corpo de praia, mas desta vez maior e ainda mais definido.

O seu planeamento seria algo como:

–        Setembro a Janeiro: tentar ganhar 4 a 5 quilos de peso corporal, sendo no máximo 2 deles proveniente de tecido adiposo;

–        Janeiro a Abril: tentar subir mais 2 ou 3 kg de peso corporal, com um máximo de 1 a 1,5 kg de gordura

–        Abril a Agosto: agora com 7-8 kg de peso corporal extra sendo apenas 2 ou 3 deles gordura, o culturista inicia a sua dieta de definição com o objetivo de perder 3-4 kg de massa adiposa, o que o deixaria no final do ciclo anual com um físico 3 a 4 kg mais pesado que no ano anterior e ainda com menos gordura e mais definição.

 

Este seria um exemplo quase perfeito de um planeamento anual com um objetivo geral a longo prazo dividido em objetivos específicos a curto prazo.

 

No mundo do Fitness “Falhar em Planear é Planear para Falhar”.

----------

José Quinta
www.bodyperfect.pt


O que melhorarias neste artigo?




O conteúdo podia ser...





Cancelar

GOSTAS DESTE ARTIGO?