Importância e Funções da Glutamina

A glutamina é um aminoácido de extrema importância cujas funções no corpo vão muito para lá da simples recuperação pós-treino.
26.10.2016

A glutamina é um aminoácido semi-essencial, porque pode ser sintetizada pelo organismo a partir de outros aminoácidos (ácido glutâmico, valina e isoleucina ). É produzida nos músculos e depois distribuída através da corrente sanguínea para os restantes órgãos. É por isso que é um dos aminoácidos mais abundantes no tecido muscular e no plasma sanguíneo, que circula por todo o organismo. A glutamina representa cerca de 60% dos aminoácidos livres existentes.

Os alimentos com maior teor de glutamina são: leite e derivados, carne, amêndoas, amendoins, soja, peru e feijão.

A glutamina possui diversas funções importantes no corpo tais como, por exemplo, servir de fonte de energia para o sistema imunitário e participar de forma direta e ativa no crescimento muscular através da estimulação da síntese de proteína.

Apesar da glutamina ser classificada pela literatura científica como um aminoácido não essencial, não quer dizer que ela não seja essencial para nosso organismo, pelo contrário, ela realiza funções vitais para o bom funcionamento de diversos órgãos tais como os pulmões, coração, rins, fígado e intestino. O nosso organismo também utiliza a glutamina para o transporte de amónia e nitrogénio pela corrente sanguínea, e é por esse motivo que é necessário manter sempre constante a quantidade de glutamina no sangue. Além de ser também uma fonte primária de energia para o nosso sistema imunológico, concluindo que sua escassez no organismo pode aumentar a incidência de doenças, também é necessária para a absorção e a proliferação de células intestinais, prevenindo a deterioração do intestino, além de normalizar a permeabilidade e integridade do mesmo.

Para atletas de atividades físicas de alta intensidade e principalmente praticantes de musculação, a glutamina tem auxiliado muito na recuperação após os treinos, evitando o catabolismo e o overtraining, pois apesar de a glutamina ser produzida pelo corpo e representar praticamente 60% do tecido muscular esquelético, ainda há a necessidade do seu consumo através da suplementação, já que a demanda de glutamina nos músculos é muito maior do que a quantidade que o corpo é capaz de produzir.

A glutamina é tão importante para o bom funcionamento do corpo que diversos nutricionistas consideram-na essencial, pois participa de forma relevante na síntese de outros aminoácidos e ajuda a manter a homeostase dos tecidos durante o processo de catabolismo. Outras funções importantes inerentes à glutamina é o fato dela conseguir libertar quantidades extras de hormonas na corrente sanguínea, tais como a testosterona, por exemplo.

A glutamina também desempenha um importante papel na produção de glicose. Devido ao fato de ter 2 grupos amina ela é ideal para a formação de outros aminoácidos. A glutamina presente no músculo doa um radical amina para o ácido pirúvico. A partir daí um aminoácido chamado alanina será formado, transportado para o fígado, onde será metabolizado produzindo glicose. Sendo assim, a glutamina é de vital importância para a produção de energia por parte do organismo.

Manter um pH sanguíneo adequado, ou seja, dentro da faixa de 7.35 a 7.45 é de vital importância. Para que todos os nossos órgãos possam funcionar da maneira correta é necessário que haja um pH ótimo. A glutamina também ajuda a manter esses valores ideais. Se há um excesso de H+ no corpo, podendo gerar acidose, esse elemento junta-se ao grupo amina da glutamina e pode ser excretado pela urina evitando possíveis problemas na homeostase.

A glutamina além de auxiliar no funcionamento do organismo, também desempenha um papel muito importante na síntese de proteínas nos músculos, pois poupa o tecido muscular que é catabolizado para prover glutamina para outras células do corpo, permitindo que o tecido muscular use glutamina para sintetizar tecido muscular novo, contribuindo para o aumento de força e resistência e diminuindo o tempo de recuperação.
Diversos estudos demonstraram também que a glutamina tomada em pequenas doses orais (2 gramas da através de suplementação), elevou o aumento do nível de hormona de crescimento.

Para quem pratica desportos e treinos mais intensos, a glutamina em pó deve ser consumida no pós-treino e também antes de dormir. Ingerir o suplemento com hidratos de carbono simples (alto indice glicémico) é uma boa opção, pois a elevação da glicose sanguínea faz com que o nutriente entre nas células de maneira mais rápida. A quantidade mínima de glutamina que deve ser ingerida por dia é de 10 a 15 gramas sendo que esse valor deve ser dividido para ser tomado 3 vezes durante o dia (chegando a ser recomendadas doses de até 20 gramas em dias de treino divididas em 5 gramas ao acordar, 5 gramas antes do treino, 5 gramas após o treino e 5 gramas ao deitar)

Como sempre a Biotech Usa equacionou diversas formas de apresentação de glutamina para poder servir os seus clientes da melhor forma possível e consoante as suas necessidades e preferências:

–        100% Glutamina

–        Glutanator

–        Glutanator Tablets


O que melhorarias neste artigo?




O conteúdo podia ser...





Cancelar

GOSTAS DESTE ARTIGO?